28 de fev de 2009

Big rider de férias

Bom se o surfista da foto (eu) é big rider, ele está realmente de férias... Na realidade o termo big rider desta postagem é claro que é brincadeira. Já peguei ondas maiores num passado distante mas nos últimos anos surfar ondas maiores tem sido raríssimo para mim. Sabe como é, a carcaça já não é mais a mesma, o fôlego para aguentar grandes caldos não está tão afiado assim. Logo, um marzinho marolado com umas ondinhas abrindo tem o seu valor. Exercício de baixo impacto!

27 de fev de 2009

Windsurf na Alemanha

Evento da Red Bull com algumas tomadas muito legais.

26 de fev de 2009

O CASO PESCA E SURF (12)

Agora o assunto é correntes. Você percebe que as correntes são variáveis muito importantes para o assunto do surfista pego em redes de pesca? Em dias com correntes no mar, pode ficar mais difícil sair ou entrar no mar. Se o surfista pára de remar pode ser levado pela corrente e a força dela é que pode pressionar seu corpo contra a malha das redes. 

7.3.3 As Correntes
O sistema de correntes que pode afetar a sedimentação e a morfologia costeira são:
1. Correntes de Marés
2. Correntes da Circulação Oceânica
3. Correntes Fluviais
4. Correntes litorâneas (induzidas por ondas e ventos)
Para o litoral gaúcho as correntes de marés são insignificantes, devido a sua pequena amplitude. Também as grandes correntes de circulação oceânica vigentes não afetam muito a costa gaúcha, pois envolvem um deslocamento de água muito afastado da costa (NICOLODI, 1999). Para o estudo dos conflitos entre pescadores e surfistas na orla marítima, também as correntes fluviais exercem pouca influência, visto que existem apenas quatro desembocaduras de rios para o oceano em todo o estado e nenhuma se localiza na área de estudo. Dessa forma, as correntes mais importantes para a dinâmica costeira e consequentemente, para este estudo são as correntes litorâneas. As correntes litorâneas são um resultado direto do ângulo de incidência em que as ondas chegam à linha de praia. Quando as ondas batem paralelamente à linha de costa, desenvolve-se um padrão de circulação celular, através de correntes de retorno perpendiculares à praia, por onde voltam ao mar às águas ali empilhadas continuadamente (VILLWOCK & TOMAZELLI, 1995). Estas correntes de retorno, popularmente conhecidas como “repuxo” são um dos grandes perigos para os banhistas durante os meses de verão, sendo responsáveis pela maioria dos afogamentos no mar. Isso porque, durante o processo de retorno das águas estas correntes podem chegar a uma velocidade de 2 a 3 m/s enquanto conseguimos nadar a uma velocidade de até 2m/s. A velocidade da corrente, mais a agitação das ondas, acabam oferecendo alto risco de afogamento para os banhistas, segundo dados do projeto “Segurança de Praia” do Centro de Estudos de Geologia Costeira e Oceânica – CECO/UFRGS. A ilustração a seguir (figura nove) mostra o mecanismo das correntes de retorno junto à linha de costa.
Figura 9: Ação das correntes de retorno e paralelas à costa. (Extraído de GRUBER, 1999).

No próxima postagem, O CASO PESCA E SURF (13), vai tratar de derivas litorâneas. São as correntes que nos levam para os lados. As mais perigosas para o assunto das redes. Quinta-feira que vem, como de costume, aqui no Top Wings.

25 de fev de 2009

Pranchinha nova

Quando ganhamos ou compramos nossa prancha zerada, é uma felicidade! Ficamos pegando ela, olhando de vários ângulos. Bordas, rabeta, quilhas, deck, fundo. Um namoro. O desenho ao lado é da Pamela Neswald que andava um pouco afastada do nosso blog. Mas aí esta ela de novo. Ilustrou uma gatinha que parece apaixonada pelo seu brinquedo. Tá dançando com ela?...

24 de fev de 2009

Agradecendo a Deus

Quando estamos aproveitando um momento especial em nossas vidas não é incomum agradecermos a Deus por isto. O famoso "Obrigado Senhor" dito depois de um dia maravilohoso de surf, uma onda perfeita bem surfada, etc. Alguns como o da foto, aproveitam para agradecer durante o evento que os faz feliz.

23 de fev de 2009

David Pu'u

Surfando na Internet, garimpando sites legais, achei o fotógrafo e cinegrafista David Pu'u. O cara tem fotos incríveis de surf além de outros assuntos. Vamos iniciar aqui no Top Wings a publicação de alguns das obras de arte do Pu'u. Olha só esta foto, anel de ouro dentro de um tubo! Abaixo trailer de um filme que ele participou na elaboração: An Equatorial Convergence.

22 de fev de 2009

Red Bull em Pipeline

Filme do pessoal da Red Bull em Pipeline. Em algumas cenas do video é possível ver o tamanho da crowd dentro da água e a linha de fotógrafos que procuram o melhor lance dos surfistas em Backdoor (outra crowd de "quase atropelados").

21 de fev de 2009

Botando pra baixo

Botar pra baixo no surf é o mesmo que dropar ondas. Quem não é do ramo talvez esteja boiando no assunto. Descer a onda é a primeira manobra quando o surfista está de pé. É o início da onda, da velocidade, da descida. O drop. Um momento de adrenalina e incertezas. Nesta obra do John Severson, uma morra sendo dropada, o surfistinha do desennho está botando pra baixo!

20 de fev de 2009

Atravesse a rua na faixa de pedestres

Nos dias de merreca, mar razinho até o outside, é comum cruzar com "pedestres" disputando contigo o espaço marítimo. Além de ter que olhar para o que a onda vai te proporcionar na sequência da parede, um olho tem que ficar nas pessoas que populam o seu caminho. Muito cuidado para não enfiar um bico, uma quilha ou a sua própria cabeça num outro corpo humano vivo. Na foto, eu neste verão, num dia de marola, analisando a viabilidade de tentar uma batida no final da onda. Entre mortos e feridos, todos sobreviveram...

19 de fev de 2009

O CASO PESCA E SURF (11)

Vamos ver agora a continuação do trabalho do Ingo sobre O CASO PESCA E SURF que trata da dinâmica costeira do litoral norte do RS. O assunto agora é ONDAS!

7.3.2 As Ondas
Para Villwock & Tomazelli (1995), a costa do Rio Grande do Sul é francamente dominada pela ação das ondas, visto que possui uma configuração praticamente retilínea, sem reentrâncias e maiores irregularidades o que lhe confere um caráter aberto. Em definição para o litoral norte, Nicolodi (1999) considera-o como dominado por ondas de moderada a alta energia e por ondas de tempestade. Segundo Villwock (1994), as ondas significativas são geradas durante tempestades e tem sua energia potencial diretamente proporcional a três fatores: A velocidade dos ventos, duração da tempestade e a área onde a tempestade atua. Segundo Motta, (1969), as ondas têm duas direções predominantes: nordeste e sudeste. As primeiras constituem vagas originadas pelo vento mais freqüente na região (nordeste), com períodos de até 9 segundos, atingindo alturas de 1,5 metros, nas profundidades de 15 a 20 metros. Por outro lado as do sudeste constituem ondulações formadas por perturbações atmosféricas ao largo da costa, têm maior altura e energia e com isto maior capacidade de transporte. A altura máxima atingida nas recorrências anuais é de 3,5 metros e dificilmente ultrapassam períodos de 15 segundos (ALVAREZ et al. 1983). Estas ondas que atingem o litoral da área em estudo podem ser classificadas em três diferentes tipos de ocorrências e podem acontecer de maneiras superpostas:
1. Ondulação, ou swell waves: Ondas mais regulares, período longo, menor esbeltez e cristas arredondadas. Para Motta (1967), esta ondulação é formada no cinturão tempestuoso sub-polar do Atlântico Sul, localizado próximo a latitude 60°S.
2. Vagas, ou sea waves: Resultado da ação de ventos locais, têm como características ser bastante irregulares, muitas vezes individuais, de elevada esbeltez, apresentando cristas agudas e de pequena propagação. Geralmente estão superpostas à ondulação, com direção predominante dos quadrantes E e Ne, mesma direção dos ventos oceânicos predominantes na área costeira em estudo.
3. Ondas de tempestade, ou storm waves: Mais raras, correspondem às de maior energia dentre as que atingem a área de estudo. Estão associadas a fortes ventos provenientes de tempestades próximas à costa. Segundo Motta (1967), uma vez ao ano estas ondas atingem pelo menos 4m de altura, próximo a isóbata de 20m, chegando a um pico de 7m em um período de recorrência de 30 anos Motta (1967), Tomazelli, (1990), Villwock & Tomazelli (1995).
Exemplos de Ondas:
Ondulação, ou Swell Waves. Foto 3: Ondulação. Praia de Capão da Canoa – RS. Fonte: www.ondasdosul.com.br acesso em 08/02/06.
Vagas, ou Sea Waves. Foto 4: Vagas. Píer de Tramandaí – RS. Fonte: www.ondasdosul.com.br acesso em 15/01/07. Ondas de Tempestade, ou Storm Waves. Foto 5: Ressaca em Tramandaí – 2006. Fonte: http://www.photografos.com.br/exibirfoto.asp?id=84687# acesso em 08/08/06.

Semana que vem, as correntes.

18 de fev de 2009

Onda real

Uruguai. Fotos publicadas no site Paipo. ALTAS ONDINHAS!

Mais um tubo colorido

Outra obra de arte do fotógrafo Joaquin Mallmann. O visual que a maioria dos surfistas persegue dentro da água.

17 de fev de 2009

Pedro Husadel arrepia no surf internacional

Dá-lhe primo!

O atleta Pedro Husadel, que esta na Califórnia para aprimorar seu inglês e seu surfe, participou neste último final de semana, 14 de fevereiro, da última etapa do Seaslug Surf Series em  EL PORTO, MANHATTAN, Los Angeles/CA. Com boas ondas, Pedro finalizou com o Vice Campeonato, onde enfrentou os melhores juniors do Sul da Califórnia. Este evento do VQS - Volcom Qualifying Series tem como objetivo selecionar os melhores surfistas para a grande final do VQS, de 8 a 10  maio, em 54th Street, Newport Beach na Califórnia.
  
Juniors

1. Dane Zaun
2. Pedro Husadel
3. Kokoro Tomatsuri
4. Kelly Zaun
5. Dayton Silva
6. Nick Fowler

(fonte: TropiLetras, 16 de fevereiro de 2009)

Clustermaps do Top Wings 2008

Repare que no lado direito deste site, no meio daquele monte de informações, tem um mapa como o da imagem ao lado. É um mapa do site Clustermaps. Nele, as visitas dos internautas ao site Top Wings ficam registradas, indicando o local de origem e a quantidade de visitantes. São 4 tamanhos de bolas. As bolas maiores, representam mais de 1.000 acessos. As bolas medianas, mais de 100, as outras, na sequência mais de 10 e mais de 1. O Top Wings é bastante acessado pelo pessoal do sul do Brasil, mas vem gente do Brasil todo! Em relação ao mundo, Portugal é o segundo pais que mais acessa nosso site. Temos uma galera forte na Califórnia também! O mapa é "zerado" de ano em ano.

16 de fev de 2009

Lugar legal

Falando em onda tubular, outra imagem capturada pelo fotógrafo de Torres, Toco Menezes do Surf Moments. Sou eu dentro do mar clássico que rolou na praia dos Molhes em Torres/RS. Foi um final de semana de luxo, com ondas perfeitas para os dois lados. Estou voltando a forma do surf aos poucos e pretendo melhorar cada vez mais! Tubo!

15 de fev de 2009

Ondas perfeitas tubulares III

Essas são brasileiras! Wavetoon!

14 de fev de 2009

Ondas perfeitas tubulares II

Sonho? Imagem enviada pelo primo Renato Hickel.

13 de fev de 2009

Enquete no Top Wings

Após um ano, foi encerrada a enquete aqui no Top Wings sobre a idade dos nossos visitantes. O resultado, computando 34 votos, foi:

50% acima de 40 anos
11% de 30 a 39 anos
32% de 20 a 29 anos
5% abaixo de 20 anos

Claro que esta enquete não representa a real distribuição da faixa etária dos visitantes aui do Top Wings. Pode ser apenas um indício das faixas etárias que respondem as enquetes. Sabemos no entanto que vários Sauros aparecem no nosso blog. A próxima enquete será a tentativa de saber quais os assuntos que mais interessam aos internautas que nos visitam. Participe. A enquete fica no lado direito do site, antes das imagens de meteorologia.

Ondas perfeitas tubulares

Ondas perfeitas, rodando ocas. Direitas! É só o que eu quero! Relembrando momentos recentes muito legais que fui presenteado, mais uma obra do John Severson.

12 de fev de 2009

O CASO PESCA E SURF (10)

Iniciando o capítulo 7.3 do trabalho O CASO PESCA E SURF, o assunto marés.

7.3 Aspectos da Dinâmica Costeira do Litoral Norte
O conhecimento da dinâmica costeira é fundamental para qualquer proposta de gerenciamento do ambiente costeiro. Pesquisadores do CECO/UFRGS têm estudado a região costeira do RS há 40 anos, fornecendo subsídios para o entendimento dos parâmetros que regem a dinâmica deste ambiente. Estes dados serão levados em conta para considerações sobre as atividades de pesca profissional artesanal e surf na orla marítima do município de Cidreira, área estudo desta pesquisa. Para Gruber (1999), as costas abertas do tipo oceânica tem sua morfologia ligada a uma combinação de forças gravitacionais e hidráulicas, a partir de ondas e correntes. 
A figura oito explicita os processos atuantes na morfodinâmica de praias. Figura 8: Processos atuantes na morfodinâmica de antepraia. Fonte: (NIEDORODA, 1984 copiado de Gruber 2002).
7.3.1 As Marés
Segundo Strahler (1994), as mudanças contínuas de posição dos grandes corpos celestes (Sol, Lua) afetam o balanço de distribuição das massas de água no globo terrestre. Isso ocorre devido à força de atração gravitacional que eles exercem sobre os fluidos, e são conhecidas como marés astronômicas. Elas correspondem à subida e descida rítmica do nível do mar devido às forças de atração do Sol e da Lua sobre o planeta Terra. Segundo Villwock (1994), duas vezes em cada mês, na lua nova e na lua cheia, ocorrem marés mais altas, conhecidas como marés de sizígia. Ainda para o autor, além das marés astronômicas, outros fatores físicos podem ocasionar a rápida elevação do nível do mar, formando as marés meteorológicas, como: ventos fortes soprando do mar, tempestades com queda abrupta da pressão atmosférica, abalos ou alterações sísmicas no fundo marinho. Para Nicolodi (1999), a amplitude média de maré para a costa do litoral gaúcho não ultrapassa 50 cm, caracterizando-a como uma área de micro-marés (amplitude de maré inferior a 2m). As costas dominadas por micro-marés possuem ilhas barreiras alongadas (30-100 km), pequeno número de canais e pouco desenvolvimento de manguezais e marismas (VILLWOCK, 1994 pág.45).

Semana que vem neste trabalho, AS ONDAS! Urrú! Vai perder essa?

11 de fev de 2009

Betinho Schmitz

Betinho Schmitz é um cara muito especial. Piloto de asa delta brasileiro que já foi campeão brasileiro, gaúcho, mundial. Cross country, speed gliding, permanência, pouso em alvo... Recordista mundial de vôo de distância. Por muito tempo piloto da fábrica de asa delta Australiana Moyes e piloto do time da Red Bull. Um cara que admiro muito pela qualidade técnica, estilo, determinação. No video abaixo uma matéria de uma tv do Equador (2004) sobre o Betinho. Em breve aqui no Top Wings, mais BETINHO SCHMITZ! Aguarde. 

Limite do desafio

A natureza é muito mais forte do que nós. Por vezes nos sentimos mais corajosos e dispostos a enfrentar desafios mais extremos. Mas tudo tem limite. No video abaixo, um cara concluindo que realmente é menor que a mãe natureza... Louco para tomar choque...

10 de fev de 2009

SoulFaceMag

O segundo país que mais acessa ao Top Wings é Portugal. Por pesquisas no Google em Português, surfistas e internautas daquele país aparecem por aqui diariamente. Ontem recebemos a visita do Mike do surf de Portugal. Ele faz parte da galera da revista SoulFaceMag, revista de surf eletrônica com um nível muito bom. E dentro dela, ALTAS ONDAS! Confira. Sejam bem vindos irmãos Portugueses!

Andrea Iemma

Esse é galo. Movimentos fluidos com toda a segurança. Expert em acrobacias.

9 de fev de 2009

Desculpem a nossa falha

"Desculpem a nossa falha..." Diria o cabo lateral desta asa delta. Quando acidentes acontecem, parte deles podem ter sido causados por falha no equipamento. É exatamente o caso do que se vê neste video abaixo. Acrobacia geralmente é coisa para dublê. E acrobacia em asa delta é coisa para dublê corajoso. A confiança no equipamento, o risco de morte, a adrenalina, são em doses cavalares! No video, falha provavelmente no cabo lateral da asa durante a tentativa de looping (campeonato de acrobacia), presença de espírito do piloto de acionar o paraquedas reserva mesmo numa situação de forte aceleração centrípeta (rodando muito rápido), paraquedas abrindo perfeito e a caída na água com o resgate de barcos chegando em segundos. Deu tudo errado, mas no fim deu tudo certo!

8 de fev de 2009

7 windplace downwind Rio Grande - Chuy 2009

AVISO DE REGATA
 
DATA : 20 a 24 de fevereiro/ 2009 ( janela de espera)

LOCAL: WIND PLACE DE PRAIA – PRAIA DO CASSINO

HORÁRIO: 10HS

INSCRIÇÕES:  LOJAS WIND PLACE  /  WIND PLACE DE PRAIA

REALIZAÇÃO : WIND PLACE 

Requisitos para participar:

Possuir um veículo off road , equipamentos para acampamento e alimentação. 

Dispor de um motorista e ate 4 participantes  por veículo. Acompanhantes o numero  e livre .

Prestar apoio em terra para os velejadores

Os velejadores deverão dispor de equipamentos em ótimas condições de uso para não comprometer a segurança do evento

A organização sugere que os competidores levem 3 tipos de Equipamentos:  para ventos fracos, médios e fortes pois os critérios de avaliação para a realização da expedição serão feitos na hora e os velejadores deverão estar preparados. O uso do colete salva vidas é obrigatório.

A aventura terá início na frente da escola e Guarderia WIND PLACE DE PRAIA, com uma parada obrigatória no Farol do Sarita  (pc1)para o apontamento de passagem e o terminado  dia vai ser  no farol do  albardao (pc2), onde pernoitaremos e desfrutaremos  do jantao do evento.

No dia seguinte a largada geral será feita apartir das 10 hs da manha conforme condições.

A próxima parada  sera no hermenegildo onde encontraremos o (pc3) passagem obrigatória para  apontamento e relargada ate a chegada no farol da  Barra do Chuí. As paradas estratégicas que serão  aproximadamente de 60km, 58km, 77km e 25km tonalizando aproximadamente 220km tais paradas obrigatórias , servirão para decidir se continuará  ou não a regata avaliar condições técnicas e de segurança  alem de apontamento dos tempos de cada velejador e sua equipe , para troca de equipamentos e também para avaliar  a média de velocidade e a distância percorrida. A primeira parada será no Farol do Sarita, a Segunda no Farol do Albardão (para pernoitar),  a terceira talvez  seja no farol do verga ou na praia do  Hermeneguildo dependendo da  velocidade media  dos participantes  Praia do Hermenegildo e finalmente chegada no Farol do Chuí. 

O percurso soma um total de 220KM que deverão ser percorridos em dois dias.

A Wind Place se isenta de qualquer responsabilidade sobre os participantes sendo estes os responsáveis pela decisão de participar, continuar ou desistir da expedição.

Os participantes contarão com um viatura da Marinha que os  guiará ao longo do percurso e a comunicação será feita através de rádios talkabout, é importante que cada equipe possua o seu. Sugere-se o uso de 1 GPS por equipe p/ facilitar possíveis resgates.

A previsão do tempo será monitorada à partir do dia 15 de fevereiro de fevereiro e acompanhada todos os dias o que possibilitará a previsão do dia da saída da regata.

Os participantes deverão estar preparados para a saída à partir do dia 20 de fevereiro, ficando alertas a previsão e mantendo contato direto com a organização.

As inscrições deverão ser feitas até o dia 15/02/09, mediante pagamento e preenchimento da ficha de inscrição que será enviada p/ controle da Marinha. Qualquer veículo ou velejador não inscrito não poderá participar do evento que será fiscalizado e autorizado pela Marinha do Brasil.

Este  ano  teremos  a   modalidade passeio  como sempre esteve presente  no evento, mas tornando-se competição temos que dividi-lo em categorias e modalidades  e são estas

CATEGORIA INDIVIDUAL TANTO NO WINDSURF  COMO NO KITE

CATEGORIA EQUIPE  PODEM SER EQUIPES MISTA - Wind e Kite

CATEGORIA EQUIPE DE REVEZAMENTO  ESTA NÃO PODE SER MISTA .

As  inscrições serão com  valores diferenciados ;

competidores 50 R$ 

velejadores fora de competição 40 R$

acompanhantes 25 R$

O não pagamento de inscrição ate  a data ou a falta da mesma  poderão acarretar transtornos graves para o evento pois são pessoas fora de listagem de segurança e permissão das entidades locoais.

* Maiores informações através do Tel : (53)  81188004 / (53) 3231-5449   . 84344432 e 84181515 com Castilha .

7 de fev de 2009

Viagem

O video a seguir se chama Road Trip (viagem na estrada). E realmente olhando o video pode-se constatar que é uma viagem mesmo. Windsurf free style e wave com uma galera que inventa manobras incríveis. (8 min).

6 de fev de 2009

Torres/RS

Mais uma foto do Toco Menezes da Surf Moments de Torres/RS tirada em 31/01/2009. Outro motivo para agradecer: Obrigado Senhor! Nesta foto eu com velocidade cortando a onda por cima, voltando para ela é claro. Ando ensaiando uns aerials de meia idade. Recuperando movimentos dos meus tempos de mais novinho... E pior que de vez em quando a caraça senil anda voando por cima da água! Urrú!

5 de fev de 2009

O CASO PESCA E SURF (9)

Iniciando o assunto "Variáveis Climáticas" do trabalho do Ingo Kuerten sobre pesca e surf, uma análise dos ventos na área de estudos escolhida.

7.2 Variáveis Climáticas
O clima mundial afeta os organismos terrestres e marinhos, controla a erosão dos continentes e, sobretudo, é responsável pelo nível do mar”. (VILLWOCK & TOMAZELLI, 1995, pg. 05)
As condições climáticas de um determinado local refletem na interação do ambiente aquático, terrestre e atmosférico. O conhecimento destas variáveis e de suas resultantes é indispensável para uma avaliação integrada do ambiente costeiro. Segundo a classificação de Köppen (1918), Geiger & Pohl (1953) citados por Strahler (1978), o clima do litoral gaúcho é do tipo Cfa ou subtropical úmido. Para Köppen (op sit) o clima no litoral gaúcho caracteriza-se como: Temperado - com temperatura média do mês mais frio entre 18°C e -3°C; precipitação suficiente em todos os meses do ano; e temperatura do mês mais quente superior a 22°C. De acordo com Nimer (1977), este clima é dominado por massas de ar tropicais e polares e as chuvas são bem distribuídas, com média de 1.300mm anuais, com aumento dos índices no inverno. Para a região de Cidreira, o clima é subtropical apresentando as quatro estações bem definidas. No verão a temperatura oscila entre 22°C e 35°C e no inverno entre 3°C e 18°C (THERRA, 2007).
7.2.1 Os ventos
O regime de ventos se apresenta como um importante agente modelador na paisagem da planície costeira, sendo subordinado às variações de circulação das grandes massas de ar regionais. Possui importante papel na configuração dos setores praiais (no balanço de sedimentos onshore - offshore), na ocorrência e magnitude dos campos de dunas, no assoreamento, na segmentação e forma dos corpos lagunares, bem como na distribuição de espécies lagunares ocorrentes (GRUBER, 2002). A origem dos ventos do Litoral Norte Gaúcho relaciona-se com os dois sistemas de alta pressão que atuam nessa região: o Anticiclone do Atlântico Sul e o Anticiclone Migratório Polar (Nimer, 1977). Buscando aprimorar o conhecimento a respeito deste regime de ventos, Tomazelli (1993) utilizou estações meteorológicas situadas em Torres, Imbé e Rio Grande, em uma série de dados de 13 anos, de 1970 a 1982. Considerando a proximidade da área de estudo (município de Cidreira) com a estação meteorológica de Imbé (aprox. 60km), tomaremos seus resultados como base para o município. Sendo assim, o vento mais freqüente na região para os meses do ano é o vento proveniente da direção Nordeste – NE, com exceção do mês de junho onde o vento mais freqüente provém de oeste – W. Apesar das direções predominantes, os ventos dos quadrantes sul, sudeste, leste e sudoeste possuem freqüência e direção consideráveis em todos os meses do ano, com maior freqüência para o quadrante E. Tabela 1: Freqüência percentual, ao longo dos meses do ano, dos ventos superficiais na est ação de Imbé. Período de Observação: 1970 – 1982. Fonte: Tomazelli, 1993.

Semana que vem vamos entrar dentro da água. Vem aí "Aspectos da Dinâmica Costeira do Litoral Norte". Quinta-feira 12/02/2009 aqui no Top Wings. Acompanhe.

4 de fev de 2009

Surf Moments

O pessoal do surf de Torres/RS tem um esquema quente de divulgar o surf de seu local. São os caras da galera do Surf Moments. Fotógrafos como o Toco Menezes ficam de plantão na areia com suas cameras munidas de potentes teleobjetivas, capturando os melhores momentos da galera dentro da água. Depois é só ir na loja Trópico de Torres e garimpar nas fotos do dia para ver se você se acha nas imagens. No fim de semana do feriado de 02/fevereiro/2009, o surf rolou solto com ALTAS ONDAS e com as imagens do Surf Moments, dá para se ter uma idéia do que foi a festa da galera lá no outside. Fui presenteado com algumas fotos do Toco que estão sendo publicadas aqui no Top Wings mas que podem também ser acessadas no site do Surf Moments relacionadas com meu nome, Neko Rodrigues.

Surf feminino

Gatinhas dando exemplo de superação e de bom surf. 2008 Billabong World Girls Juniors.

3 de fev de 2009

Pedro Husadel no VQS na Califórnia

Notícia do Tropiletras da Tropical Brasil. Está lá o brasileiro Pedro Husadel radicalizando no exterior:

TropiLetras, 02 de fevereiro de 2009.
 
Neste último sábado, dia 31 de janeiro, Pedro Husadel competiu no VQS, Volcom Qualifyning Series em River Jetties, Newport Beach Califórnia. Nesta primeira participação do jovem catarinense nas ondas californianas, conseguiu um bom desempenho, apesar das ondas estarem muito pequenas. Mas mesmo assim passou duas baterias bem disputadas e acabou sendo eliminado na semi-final. Pedro vinha treinando muito nos dias anteriores, com ondas muito boas em Oceanside, mas como acontece em todos os lugares do mundo, dias de campeonatos podem ser contemplados com merrecas. Mas independente das condições, Pedro atuou de igual para igual com os melhores sub-18 do sul da Califórnia. Keep going.

Direto da Austrália

Não adianta... Cada vez que comento com o meu primo Renato Hickel sobre algum dia de surf por aqui, ele vem com fotos da rotina dele na Austrália... Essa foto aí é de 02/02/2009 (ontem) na frente da casa dele... Dá pra competir com esse cara?...

2 de fev de 2009

Obrigado Senhor!

Neste fim de semana que passou fui para Torres/RS com a idéia de pegar umas ondas. Dei muita sorte pois numa situação climática de pré-frontal, um vento noroeste quente ficou soprando por um bom tempo. Vento noroeste não é muito comum por aqui e sua direção proporciona ondas lisas no litoral do RS. É o chamado vento terral. O fundo de areia, correntes marítimas e tamanho de ondas estavam perfeitas para meu nível de surf. Eis que entrei em algumas ondas que me presentearam com direitas tubulares perfeitas. E como eu estava realmente com sorte, tinham fotógrafos de plantão na areia, registrando momentos da galera dentro da água. Eram fotógrafos da loja Trópico de Torres/RS. Esta foto foi tirada pelo Toco na praia dos Molhes, em 31/01/2009. Sou eu num dos tubos maravilhosos que tirei e que por sinal faziam alguns anos que eu não era presenteado com visuais tão legais. Obrigado Senhor! 

1 de fev de 2009

1 ano

Faz 1 ano que o Top Wings foi iniciado. A primeira bola já foi para a caçapa. Surf, windsurf, vôo. Top Wings são as asas que estão sobre todas as outras, mais alto, no topo. Top Wings - Sobre tudo que voa! Obrigado pela sua visita. Estamos acompanhando o perfil dos visitantes, verificando os assuntos mais acessados e procurando tornar o Top Wings uma leitura descontraída voltada para esportes e estilo de vida com ação. Vamos para a próxima bola! Muito surf! Neko.